Marinheiros

A linha dos marinheiros são espíritos que em suas últimas encarnações viveram no mar, pelo mar e para mar.

Alguns navegaram e outros submergiram nas águas profundas. Outros foram arrastados para dentro dele pelas ondas e outros foram arrastados pelas fortes correntes marinhas, deslocando-os de uma região para outra.

Por “marinheiros de Umbanda” entendam marinheiros, navegadores, oficiais, pescadores, povos ribeirinhos ligados à pesca, ex-piratas, saqueadores, etc., todos ligados às linhas d’água.

Se uns “caminharam sobre as águas”, outros afundaram nelas com o navio e tudo mais.

Os marinheiros de Umbanda formam uma linha de “povos de água”, ou seja, regidos por Iemanjá e as outras mães d’água: Nanã, Oxum, Obá, etc.

Os espíritos que ampararam a vida com os recursos do mar (das águas), Iemanjá recompensa com o direito de continuarem a navegar com “bom tempo” em seus mares.

Já aos que se serviram dos mares para alimentarem seus instintos, aí a solução só é encontrada mais “embaixo”, nos domínios de Omulú, Orixá regente dos mistérios da morte.

Os marinheiros de Umbanda Sagrada estão submetidos a esses dois pólos regentes da linha da geração, regida por Iemanjá e por Omulú, pela água e pela terra.

Ser marinheiro de Umbanda é auxiliar pessoas e espíritos necessitados com os recursos dos mistérios das águas.

Ao se manifestarem, incorporados em seus médiuns, esses espíritos se movimentam e “dançam” como se estivessem se equilibrando sobre o tombadilho de um navio ou barco em alto mar.

Na verdade, por estarem manifestando-se sob a irradiação de Iemanjá, o magnetismo dela faz com que tenham esses movimentos das ondas do mar.

Quanto à necessidade de beberem rum ou alguma outra bebida com alto teor alcoólico enquanto estão incorporados, é porque, caso, contrário, seus magnetismos absorvem muito do “álcool” do corpo do médium.

O uso dessas bebidas dá fluidez e volatilidade às vibrações dos espíritos, expandindo seus campos magnéticos e possibilitando-lhes a estabilização e o equilíbrio nas incorporações.

Mas o consumo deve ser controlado, senão tudo foge do controle e…

Nós sabemos que a ingestão de bebidas com alto teor alcóolico “sobe” à cabeça e a pessoa caminha trôpega como se o solo estivesse instável.

Com os marinheiros acontece o contrário: vivem na irradiação aquática do mar e, quando incorporam, parece-lhes que é o solo que está se movendo.

Daí é o álcool que lhes dá estabilidade e equilíbrio, senão não conseguem ficar parados e dar o atendimento às pessoas.

Guias: Marinheiros

Mistério sustentador: Mãe Iemanjá

Cor: Azul claro

Erva: Alfazema

Frutas: Melão, uva itália

Saudação: Salve a marujada!

Bebida: Rum e cerveja branca

Elemento: Pedras, conchas, búzios e caramujos

Fumo: Cigarro

Velas: Azul claro

Flores: Cravo branco e palma branca

Alimento: Peixes e frutos do mar

Atua: Ordenando a geração

Go to Top