Baianos

O arquétipo é o tradicional “pai e mãe de santo da Bahia…” mas não só de lá, de todos os recantos do Brasil.

O arquétipo dos Baianos da Umbanda foi criado justamente em cima daqueles que melhor sustentaram e popularizaram o culto aos Orixás no Brasil.

Esses espíritos já tinham a intimidade com os Orixás suas magias, suas rezas, suas quizilas, seus feitiços, etc., e foram homenageados com uma linha de trabalhos só para eles, por meio da qual podem auxiliar os encarnados dando continuidade ai que já faziam quando viveram na Terra.

A Umbanda é, tal como o Espiritismo, um culto fundamentado no culto aos antepassados e é um culto a Egungun mais elaborado e totalmente aberto.

O que é oculto são os nomes dos espíritos que incorporam.

Zé do Coco, Maria Bonita, Lampião, Zé Pelintra, Corisco, Zé da Bahia, etc.

São nomes que, na Umbanda, englobam várias correntes espirituais formadas por sacerdotes, mestres e rezadores nordestinos.

A linha dos baianos é a dos heróis anônimos que sustentaram o culto aos Orixás e os semearam primeiro em solo baiano, e posteriormente no resto do Brasil e, com a Umbanda organizada, os levarão ao mundo.

Guias: Baianos
Mistério sustentador: Mãe Iansã
Cor: Amarela
Erva: Quebra demanda e alecrim
Frutas: Abacaxi, coco e manga
Saudação: Salve a Bahia!
Bebida: Batida de coco, pinga e cerveja
Elemento: Fitas, búzios e pedras
Fumo: Cigarros e cigarro de palha
Velas: Amarelas
Flores: Girassol, flores amarelas e cravo
Semente: Olho de boi, olho de cabra e coquinho
Alimento: Coco, cocada, farofa e carne seca
Atua: Movimentando

Go to Top